Dourados, MS - 10 de Dezembro de 2017

14/07/2017 13h35

Madson mobiliza distritos e a cidade para garantir continuidade do atendimento noturno dos postos de saúde

Após mobilização os atendimentos noturnos nos postos continuarão, segundo o vereador

Foto: Eder Gonçalves

O vereador Madson Valente (DEM) mobilizou os moradores de Dourados e distritos pela luta em prol da continuidade do atendimento noturno nos postos de saúde da Seleta, Parque II e Vila Vargas. O movimento teve início após a determinação do departamento de Atenção Especializada da secretaria de Saúde de Dourados, que segundo o vereador, visava reduzir os plantões noturnos, para somente três vezes por semana nos postos citados. Após a mobilização, os atendimentos foram normalizados.

 

 

"Considero decisiva a mobilização, principalmente nas redes sociais, que, através dos moradores, chamaram a atenção para que a iniciativa da prefeitura fosse revista. Depois dos vários compartilhamentos e estudo de atos simbólicos, a secretaria de Saúde resolveu ouvir o clamor dos moradores e, através da imprensa, garantiu que não fecharão os plantões dos postos. Com isso, fico imensamente feliz, sentimento de estar cumprindo com meu dever", desabafou.

 

Ele afirmou que a diminuição de plantões causaria muitos transtornos para a saúde pública do município. Madson apontou que os postos estão em pontos estratégicos e contribuem para evitar a superlotação da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), porém com a diminuição dos atendimentos, poderia ocorrer um caos no atendimento dos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde).

 

Segundo o vereador, no documento, foi justificado que a decisão foi tomada conforme o Decreto 308 de 16/05/2017, que prevê redução de gastos e solicita ainda aos funcionários para procurarem o departamento para verificarem sua nova lotação, datado de 07/07/2017.

 

"Acredito que temos que ter compreensão do momento econômico pelo qual passa nosso país, porém não podemos aceitar com normalidade que medidas de contenção atinjam famílias de trabalhadores", pontuou. "Somente na zona rural esta medida atingiria seis distritos, aproximadamente 10 mil pessoas, pois Vila Vargas no período noturno atende todos eles, imaginem o posto de saúde da Seleta? Do Parque II? Quantas pessoas negativamente seriam impactadas? Imagine como ficaria a UPA? Temos que considerar que muitos possuem dificuldades de locomoção e então a central de ambulância também iria ser impactada, acredito que faltou por parte da prefeitura dimensionar todas estas situações", enfatizou.

 

Madson ainda disse que recentemente fecharam o Centro Homeopático e se a cidade tivesse reagido conforme deveria talvez Dourados não tivesse sofrido tão grave prejuízo para saúde preventiva, contrariando determinação da Organização Mundial da Saúde e da própria política de saúde do SUS. 








Leia mais notícias de Cidade

0 Comentários

publicidade