Dourados, MS - 26 de Abril de 2018

05/04/2018 15h22

Galo goleia Ferroviário e encaminha classificação na Copa do Brasil

Gazeta Esportiva

Ricardo Oliveira marcou um dos gols atleticanos Foto: Bruno Cantini)

O Atlético do técnico Thiago Larghi segue decolando no futebol brasileiro. Desta vez, a vítima foi o Ferroviário, em vitória por 4 a 0, na noite desta quarta-feira, no Independência, em confronto válido pela Copa do Brasil.

 

 

Foi apenas o primeiro jogo. O confronto de volta será em duas semanas, no dia 18 de abril, longe de Belo Horizonte. No entanto, a equipe preto e branca leva uma excelente vantagem, com grande diferença no resultado.

 

O Galo não encontrou qualquer dificuldade para bater o Ferroviário. O placar foi construído no primeiro tempo, com três gols na etapa inicial, resultado que deixou o Galo folgado para voltar do intervalo e tirar o pé.

 

Vale destacar, inclusive, que Larghi poupou jogadores para o próximo jogo, que será contra o Cruzeiro, no domingo, no Mineirão, na grande final do Campeonato Mineiro. Na partida, o Galo poderá perder por até um gol de diferença que ainda assim garante a taça.

 

O rendimento atleticano nos últimos jogos chama atenção. São sete gols marcados e um sofrido, com detalhe para três tentos anotados sobre o Cruzeiro, na primeira partida das finais do Mineiro, sendo que a Raposa teve destaque absoluto no estadual e, até esse jogo, não tinha sofrido nenhuma derrota. Nada mau para a equipe que iniciou a temporada com grandes questionamentos, com demissão de treinador, entre outros problemas.

 

Primeiro tempo

 

O Galo entrou em campo com uma formação cheia de alterações em relação ao que o técnico Thiago Larghi entende ser o time titular. No domingo, o Galo tem uma difícil final de Campeonato Mineiro e o treinador alvinegro decidiu preservar alguns atletas.

 

Na defesa, Bremer entrou na vaga de Leo Silva. Na direita, Samuel Xavier ganhou a posição de Patric. No meio, Arouca e Gustavo Blanco entraram nas posições de Adilson e Elias. Tomas Andrade no lugar de Luan.

 

Ficou difícil observar qualquer coisa tática antes do primeiro gol atleticano. Isso porque no primeiro minuto de jogo, em cruzamento da direita, Samuel Xavier colocou a bola na cabeça de Ricardo Oliveira. O camisa 9 desviou de cabeça e tirou completamente do goleiro adversário, mandando a bola para o fundo das redes.

 

Depois do tento, o Galo seguiu comandando a partida. O Ferroviário, porém, levou um grande susto, com um cruzamento rasteiro na área e toda a defesa alvinegra parada olhando.

 

Cazares seguiu sendo o jogador que buscava o jogo na defesa e fazia a ligação com o ataque – esquema colocado por Larghi e que foi avaliado de forma bem satisfatória nas vitórias sobre América e Cruzeiro.

 

O Galo encontrava poucas dificuldades na partida. Todas elas defensivas. Ofensivamente a equipe mineira criava e mostrava alternativas de jogo, como chutes de longa distância com Otero, boas enfiadas de bola de Cazares e saída da área de Ricardo Oliveira.

 

Aos 28, Otero conseguiu o segundo gol. Em um chute de fora da área, fraco, de perna esquerda, a bola desviou na defesa e parou no fundo das redes.

 

Aos 39, o Galo novamente ampliou a contagem. E outra vez com o venezuelano Rômulo Otero. Em um bom avanço dede Gustavo Blanco, o camisa 11 apareceu no meio da zaga e mandou para o fundo das redes.

 

O Galo dominou até o final do primeiro tempo, inclusive, com, pelo menos, mais uma chance clara.

 

Segundo tempo

 

O Galo voltou e novamente conseguiu um gol rapidamente. Isso com a dupla que deixou o banco de reservas para a partida. Em boa jogada de Cazares, Roger Guedes foi lançado. Ele entrou na vaga de Otero e conseguiu chegar com qualidade na linha de fundo. A bola chegou em Erik que assumiu a posição de Ricardo Oliveira e o jovem atacante mandou para dentro.

 

Com o resultado muito favorável, o Galo passou a se segurar em campo. Trocava passes, tentava chegar na boa, mas errava bastante.

 

O argentino Tomas Andrade foi um destaque negativo da equipe. O jogador errou tudo que tentou e nem mesmo a grande vontade foi capaz de ajudar o jogador.

 

Aos 22, Roger Guedes fez uma bela jogada. O atleta recebeu a bola na frente, driblou três adversários, mas o goleiro apareceu para fazer uma bela defesa. 








Leia mais notícias de Esportes

0 Comentários

publicidade