Dourados, MS - 26 de Abril de 2018

05/04/2018 15h34 - Atualizado em 05/04/2018 15h34

Com erros da defesa, São Paulo perde e não quebra tabu na Arena

Gazeta Esportiva

Atlético-PR venceu o São Paulo por 2 a 1 no jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil (Foto: Miguel Locatelli/CAP)

O São Paulo saiu atrás do Atlético-PR na quarta fase da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada, o Tricolor não demonstrou a mesma atitude dos jogos anteriores, falhou defensivamente e acabou derrotado por 2 a 1. Pablo e Paulo André abriram vantagem para o Furacão, enquanto Tréllez diminuiu para o time visitante.

 

 

Como não há o critério do gol fora de casa nesta edição do torneio nacional, o São Paulo precisará vencer o jogo de volta por dois gols de diferença para avançar de forma direta às oitavas de final. A decisão está marcada para o dia 19, às 19h15 (de Brasília), no Morumbi.

 

Para piorar, o clube do Morumbi segue amargando o tabu de jamais ter vencido o Atlético-PR na Arena da Baixada. Com o resultado desta noite, o Tricolor soma 13 derrotas e cinco empates desde a inauguração do estádio, em 1999.

 

Antes do duelo decisivo, contudo, as equipes terão compromissos por outros torneios. No próximo dia 12, às 21h30, o Tricolor visita o Rosario Central-ARG, pelo jogo de ida da primeira fase da Copa Sul-Americana. Na sequência, recebe o Paraná, no dia 16, às 20 horas, no Morumbi, onde fará sua estreia pelo Campeonato Brasileiro.

 

Já o Furacão terá três jogos seguidos na Arena da Baixada antes de ir a São Paulo. O primeiro deles será contra o Coritiba, neste domingo, às 16 horas, pela final do Paranaense. Em seguida, no dia 12, às 19h15, receberá o Newell’s Old Boys pela Sul-Americana. Por fim, em 15 de abril, às 19 horas, a Chapecoense será a adversária pelo Brasileirão.

 

O Jogo – Após acenar com um esquema com três zagueiros no treino de segunda-feira, Diego Aguirre mudou de ideia e mandou a campo uma formação bem parecida à da derrota para o Corinthians. A volta de Rodrigo Caio no lugar de Bruno Alves foi a única mudança, de modo que Cueva e Diego Souza iniciaram no banco.

 

O São Paulo começou oferecendo a posse de bola ao adversário e apostando nos contra-ataques. Já o Furacão iniciou explorando o lado esquerdo do rival, envolvido pela troca de passes implementada pelo técnico Fernando Diniz.

 

E foi por aquele lado que o time da casa abriu o placar. Aos 23 minutos, após lançamento longo, Pablo ganhou de Rodrigo Caio pelo alto, invadiu a área e tentou o cruzamento. A bola bateu em Arboleda e voltou para o atacante, que bateu cruzado, sem chances para Sidão.

 

O gol não acordou o Tricolor, que não conseguia chegar com perigo. As únicas tentativas de se buscar o empate no primeiro tempo eram em chutes de longa distância – todos passaram longe, contudo. Já o Atlético-PR, com a esmagadora de posse de bola, controlou a vantagem nos 45 minutos iniciais.

 

Sem mudanças na volta do intervalo, o São Paulo esboçou uma pressão no início da etapa final, mas esbarrava no bloqueio rubro-negro. Sem conseguir ameaçar a meta do goleiro Santos, o time visitante levou um susto aos nove minutos, quando Nikão recebeu de Pablo livre na área. O meia chutou de primeira, mas mandou à esquerda do gol de Sidão.

 

Ciente das dificuldades de sua equipe, Aguirre lançou mão de Cueva e Régis nas vagas de Petros e Marcos Guilherme. Pouco depois, no entanto, a expectativa do empate se transformou em frustração. Aos 15 minutos, Carleto cobrou escanteio, Rodrigo Caio e Éder Militão não cortaram, e Reinaldo tocou na bola em direção ao gol. O desvio ajudou Paulo André, que, de calcanhar, empurrou para ampliar a vantagem do Furacão.

 

Praticamente no lance seguinte, o São Paulo diminuiu o prejuízo. Reinaldo recebeu lançamento de Liziero na esquerda e cruzou rasteiro. Tréllez se antecipou a Paulo André e deslocou o arqueiro. Em jogada parecida, o São Paulo quase empatou aos 27 minutos, quando Reinaldo bateu cruzado para defesa parcial de Santos. No rebote, Tréllez tentou de carrinho, mas a finalização saiu fraca, e o goleiro ficou com a bola.

 

Nos minutos finais, o jogou ficou aberto. Após rápido contra-ataque, Nikão chutou forte para boa defesa de Sidão. Aos 42, Nenê recebeu dentro da área, girou e bateu. A bola passou rente à trave esquerda do goleiro Santos. Mesmo com o sufoco nos instantes derradeiros, o Atlético-PR suportou a pressão e confirmou a vitória no primeiro encontro com os paulistas. 








Leia mais notícias de Esportes

0 Comentários

publicidade