Dourados, MS - 20 de Setembro de 2018

11/09/2018 08h42

1,5 milhão de pessoas obrigadas a deixar suas casas por furacão Florence

VEJA.com

© AP Furacão Florence visto da Estação Espacial Internacional – 10/09/2018

Quase 1,5 milhão de pessoas foram aconselhadas a deixar suas casas na faixa costeira dos estados da Carolina do Sul, Carolina do Norte e Virgínia, nos Estados Unidos, antes da passagem do furacão Florence.

 

 

Segundo os meteorologistas, o furacão deve passar pela costa leste na quinta-feira (13). Nos últimos dias, a tempestade ganhou força muito rapidamente e chegou à categoria 4, a segunda mais forte na escala Saffir-Simpson, com ventos de 220 quilômetros por hora.

 

O Centro Nacional de Furacões (NHC) alertou que a tempestade pode atingir a costa leste do país com fortes chuvas e ventos. Segundo o centro, há riscos de grandes enchentes.

 

O furacão pode ganhar ainda mais força nos próximos dias. A previsão dos meteorologistas é que os ventos causados pelo Florence cheguem a até 250 quilômetros por hora antes de atingir a terra no final da semana, o que poderia elevá-lo para um furacão de categoria 5.

 

Os Estados Unidos foram atingidos por uma série de poderosos furacões no ano passado, incluindo o furacão Maria, que matou cerca de 3.000 pessoas em Porto Rico, e o furacão Harvey, que matou 68 e causou danos estimados em 1,25 bilhão de dólares com enchentes catastróficas em Houston, no Texas.

 

O presidente Donald Trump, cujo governo enfrentou fortes críticas por uma resposta lenta em Porto Rico ao furacão Maria, cancelou um comício político planejado para sexta-feira (14) em Jackson, Mississippi, por preocupações de segurança relacionadas ao Florence.

 

Historicamente, 90% de mortes em furacões, tempestades tropicais e depressões tropicais são causadas pela água, disse o porta-voz do NHC Dennis Feltgen. Cerca de 27% das mortes ocorrem por enchentes provocadas por chuvas, às vezes a centenas de quilômetros da costa.

 

“Nós não queremos arriscar uma vida da Carolina do Sul neste furacão”, disse o governador Henry McMaster em entrevista coletiva.

 

“Nós estamos no centro do alvo”, disse o governador da Carolina do Norte, Roy Cooper. “Este será um evento em todo o estado”.

 

“Não podemos brincar com isto”

 

Em Holden Beach, na Carolina do Norte, no caminho da tempestade, moradores colocaram pedaços de madeira em suas casas para proteger suas propriedades.

 

“É assustador para todos nós. Nós sabemos que não podemos brincar com isto”, disse Jennifer Oosterwyk, dona de uma boutique em Holden Beach e moradora de Wilmington.

 

Oosterwyk juntava documentos fiscais e outros papéis importantes de sua loja e disse que planejava viajar 240 quilômetros para o interior para fugir da tempestade.

 

As forças militares dos Estados Unidos informaram que enviarão uma equipe avançada à Raleigh, Carolina do Norte, para atuar ao lado de parceiros federais e estaduais. Segundo o Exército, 750 militares serão designados para funções de apoio.

 

A Marinha informou que irá retirar quase 30 navios da região costeira da Virgínia para evitar danos. 








Leia mais notícias de Geral

0 Comentários

publicidade