Dourados, MS - 11 de Dezembro de 2018

29/12/2010 10h13 - Atualizado em 30/12/2010 10h13

Candidato do PMN diz que adversários eliminam a democracia

Redação/GDNews

Imagens: Assessoria

Professor Genival Antônio Valeretto

O professor Genival Antônio Valeretto, candidato do PMN (Partido da Mobilização Nacional) à prefeitura de Dourados disse que seus adversários políticos eliminam a democracia e deixam a sociedade sem escolha ao formarem uma coalizão de apoio a um único candidato.

 

 

Valeretto teve sua candidatura lançada oficialmente nesta segunda-feira (27) e terá como vice em sua chapa o empresário Ronen da Silva Romero, do PTN (Partido Trabalhista Nacional). O PHS (Partido Humanista da Solidariedade) também faz parte da coligação.

 

 

Opção de escolha

 

O candidato do PMN tem criticado seus adversários, em especial no que diz respeito à falta de opções que os douradenses terão no dia 6 de fevereiro para a escolha de um prefeito. “Eles [outros partidos] se unem para formar frentes que eliminam a democracia deixando o povo sem escolha, para sempre se manterem no poder”, afirmou em nota divulgada por sua assessoria.

 

 

Em relação à distribuição de cargos, caso eleito, Valeretto também garante que não pretende privilegiar partidos aliados. “Não fiz compromissos com ninguém, o povo está cansado desses políticos de carteirinha que pouco fazem pela cidade e muito para si mesmo. Se a cidade vai bem ou mal, pouco importa pra eles”.

 

 

Segundo o professor, seu plano de governo consiste na administração popular, sem privilégios a parceiros de campanha. “Tem muita gente competente lá dentro [da prefeitura], vou prestigiar quem tem conhecimento em sua área, como deveria ser.”

 

 

Histórico

 

O professor Genival Antonio Valeretto nasceu em São Paulo onde estudou e se formou no ensino politécnico. Construiu sua vida profissional no sistema “S”, formado pelo Senai Sesi e outras nove instituições profissionalizantes.

 

 

Em 2008 foi candidato a vereador, em uma coligação que reunia PMN, PMDB e PSC, tendo obtido 173 votos, segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso do Sul (TER-MS).

 

 

Superstição

 

Professor Valeretto se diz supersticioso, ao lembrar o passado do partido para acreditar na vitória. Em eleições passadas, nomes até então inexpressivos de sua sigla obtiveram grandes vitórias nas urnas.

 

 

Em 1992 o PMN elegeu para vereador, Adenilson Azola de Araújo, o “Azola do Burro”, sem dinheiro e contando apenas com a ajuda de uma carroça, um carimbo com seu número de cédula eleitoral e um megafone. Em 2002 foi o ex-prefeito Ari Artuzi que surpreendeu, eleito deputado estadual com 6.821 votos.








Leia mais notícias de Política

1 Comentários

  • Reinaldo Soares
    17:3617h36
  • A ÚNICA OPOSIÇÃO DE VERDADE É A CANDIDATURA DO PSOL, CUJO CANDIDATO É O JOSÉ ARAÚJO. NÃO ACREDITO NOS CANDIDATOS DO PMN E DO PSDC, QUE ESTÃO NO PAREO APENAS PARA DAR A IMPRESSÃO QUE O MURILO DISPUTA SÓZINHO ESSA ELEIÇÃO.

publicidade